Camara Japonesa

ZPE Ceará é destaque em encontro da Câmara Japonesa em São Paulo

O Secretário de Assuntos Internacionais do Governo do Estado do Ceará, Antonio Balhmann, participou hoje, 23, em São Paulo, do almoço mensal da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil. Este foi o segundo encontro do ano da entidade, que contou com a participação de 180 pessoas, em sua maioria representantes das empresas japonesas instaladas no país. Participaram também do encontro o Secretário de Relações Internacionais da Presidência do Senado Federal, o Embaixador Marco Farani e os representantes do Conselho Nacional das Zonas de processamento de Exportação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Leonardo Rabelo e Paulo Fukuya.

O encontro foi aberto pelo Secretário Geral da Câmara Japonesa, Fujiyoshi Hirata e pelo presidente da entidade, Aiichiro Matsunaga. O Cônsul Geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi também esteve presente ao evento. Segundo Matsunaga, a Câmara vem somando esforços para estreitar o intercâmbio econômico entre o Brasil e o Japão, funcionando como uma ponte entre os dois países. “Temos hoje 350 associados, sendo 220 empresas japonesas instaladas no país. São empresas de setores como siderurgia, fundição de alumínio, papel e celulose, além de tecnologia, como tv digital. Realizamos com frequência intercâmbios com autoridades do Governo e personalidades”, explica.

Durante o encontro, Balhmann, representando o Governador Camilo Santana e Farani, Eunício Oliveira, formalizaram o convite à Câmara Japonesa para realizarem uma visita à ZPE Ceará e participarem de um seminário, em abril, no Palácio da Abolição, quando serão apresentadas as oportunidades de investimento no Estado, com destaque para a ZPE Ceará, que possui uma área de expansão com 2 mil hectares para a implantação de novos investimentos. O evento será aberto pelo Governador do Estado, Camilo Santana; pelo presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira e pelo Embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada. Os japoneses apostam na retomada do crescimento econômico do país ainda em 2018.

 

ZPE Ceará- Uma Nova Fronteira para o Desenvolvimento Econômico

O Secretário de Assuntos Internacionais, Antonio Balhmann, apresentou para um público qualificado formado por cerca de 200 empresários japoneses, a ZPE Ceará, única free zone brasileira em operação. A ZPE Ceará conta atualmente com uma área total de 6.182 hectares, sendo 4.271 ha no Setor I (formado pelo setor siderúrgico) e 1.911 ha no Setor II, área incorporada à estatal, em 2016, para expansão de sua poligonal. Balhmann lembrou que a expansão da ZPE Ceará só foi possível graças à iniciativa do Governador Camilo Santana, que conseguiu incorporar quase 2 mil hectares antes destinados para a refinaria Premium II. “Hoje, o Estado conta com a maior área de Free Zone da América Latina”, garantiu.

Camara Japonesa 2-

Segundo Balhmann, no Setor II da ZPE Ceará, está sendo trabalhada uma área de 150 hectares, numa primeira etapa, para alfandegamento junto à Receita Federal. “Oprojeto dessa área já está pronto e a expectativa é investir cerca de R$ 35 milhões. Ela terá capacidade para abrigar cerca de 50 novas indústrias de setores diversificados, dentre eles granito e energia”, destacou. Acapacidade da área de Despacho Aduaneiro (ADA) desta primeira etapa da expansão é para 5.000 containers/mês, num regime operacional de 24 horas. Dentre as 50 indústrias, já existem 20 empresas do setor do granito com protocolos de intenção assinados com o Governo do Estado para instalação de plantas industriais na expansão, o que representa investimentos da ordem de R$ 600 milhões e 3 mil empregos diretos.

Balhmann lembrou ainda que o primeiro esforço do Governo do Ceará junto ao Japão foi ainda no Governo de Ciro Gomes, na década de 90, quando foi atraída para o Estado a empresa japonesa YKK, instalada no distrito industrial de Maracanaú. Conforme Balhmann, existem áreas estratégicas a serem exploradas pelos japoneses no Ceará, dentre elas a indústria de alimentos e a de pescado e atum. “Hoje, o que os empresários japoneses vão encontrar no Ceará é uma ambiência empresarial completamente inusitada e favorável para a realização de grandes investimentos”, garantiu. Balhmann disse ainda que o Ceará está agora trabalhando um investimento de US$ 7,5 bilhões com a China, na área de refino e petroquímica, contando já com área e projetos definidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>